segunda-feira, 9 de abril de 2012

Outside Music


Como podem ver e ouvir, desde sábado(07/04/12) estamos com a nossa playlist rolando aqui ao lado.
Agora no blog você também pode ouvir um bom som enquanto lê nossas postagens. Basta dar um click.

E pra começar, que tal escutar e conhecer bandas como:

Skillet
The Letter Black
Dominic Balli
Stryper
Petra
Brian Head
Narnia

Entre Outros.

Aperte o play e aumente o volume para ter sonzera nos teus ouvidos.

God Bless

domingo, 8 de abril de 2012

Páscoa: A verdade que não se fala. Pt III



Antes de ler esse post, leia os anteriores dessa série:
Páscoa: A verdade que não se fala. Pt I
Páscoa: A verdade que não se fala. Pt II

Domingo de páscoa, mas qual é o significado da páscoa?

Antes de Cristo, a páscoa era uma comemoração em lembrança do Êxodo. A nação de Israel vivia como escrava do Egito quando Moisés foi escolhido para liderar a saída de seu povo do cativeiro daquela nação. Êxodo 3:10

Cristo havia sido crucificado na sexta feira, o sábado era o dia de descanso conforme o mandamento, mas no domingo aconteceu algo que iria comprovar o real sentido de sua morte.
Na madrugada de domingo Cristo ressuscitou, apareceu a diversas pessoas e depois ascendeu ao céu e continua vivo e prometeu que estaria conosco até o fim dos tempos.
E a fé nisso é que faz toda a diferença

Se você leu as primeira parte dessa série, nós falamos sobre nossa desobediência, todos os erros da humanidade que nos trouxeram várias consequências, e a pior delas é o grande vazio que foi falado na segunda parte. Porém, Cristo morreu para pagar nossos erros e preencher nosso vazio. Ele mostrou que têm autoridade para vencer a morte.

E o que nos restou? Aceitar isso ou não. Entender os três passos básicos:

1-Primeiramente você precisa entender que você tem erros, que você sente culpa por seus delitos, a doença da sua alma, os seus pecados:

"Não há um justo, nenhum sequer" Romanos 3:10

2-Entender que nossos erros possuem consequências eternas, mas o sacrifício de Cristo nos liberta dessas consequências:

"Pois o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor".
Romanos 6:23

3- Confessar com sua boca aquilo que já entendeu e acreditou no coração:

"Se você confessar com a sua boca que Jesus é Senhor e crer em seu coração que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo. Pois com o coração se crê para justiça e com a boca
se confessa para salvação." Romanos 10:9 e 10

Caso tenha compreendido isso já compreendeu a mensagem da páscoa.

Cristo é o cordeiro que morreu para salvar a todos que nele acreditarem, não importa a condição, não importa o tamanho e a quantidade de seus erros. Não importa o peso de seu passado. E esse é o verdadeiro sentido de nós hoje comemorarmos a páscoa.

"Onde abundou o pecado, superabundou a graça" Romanos 5:20

God Bless






"Pessach"


Galera Outside, essa é pra galera que se amarra numa apresentação teatral.

Para quem não nos conhece. O Outside é um projeto que não se resume apenas neste blog.
Então venho lhes convidar para conhecerem o Outside Teatro, uma vertente do Outside.

A próxima apresentação do grupo, como podem ver na imagem, será no próximo fim de semana:

Peça: "Pessach"
Sábado: Dia 07 de Abril de 2012 às 19:30 hs.
Domingo: Dia 08 de Abril de 2012 às 18:00 hs.


Endereço: Rua Rolando Gambini, 100, Assunção- São Bernardo do Campo-SP
Entrada: Gratuita!



Caso tenham alguma dúvida nos procurem pelo email do Outside.

outside.jovem@gmail.com

Ou ainda: Face do Outside.

Não Percam!

God Bless



sábado, 7 de abril de 2012

Páscoa: A Verdade Que Não Se Fala. Pt II


Antes de começar a ler essa postagem, leiam a postagem anterior:
Páscoa: A Verdade Que Não Se Fala. Pt I

Hoje é sábado de páscoa. E o que significou esse dia cerca de 2000 anos atrás?

Cristo estava morto e para muitos a esperança também estava sepulcrada. Jesus tinha as palavras de vida eterna, ele curou, ensinou, era a imagem de Deus entre nós.
Muitas pessoas possuem uma imagem de um Deus distante, outros nem acreditam em Deus exatamente por não vê-lo, mas os relatos históricos falam sobre Jesus, chamado "Emanuel", que significa "Deus conosco".
E de repente Cristo, o Deus conosco, estava morto?

Sábado certamente foi um dia vazio, pra muitos uma tristeza que não trazia esperança. E o que significa esse vazio?

Na postagem anterior você leu sobre a desobediência da humanidade que é o nosso pecado, ou seja, tudo que fazemos que não condiz com o padrão estabelecido por Deus, segundo sua soberana vontade, um padrão que Deus colocou no coração de cada ser humano independente de sua religião, mas que o homem se desviou desde o princípio devido a sua desobediência.
A consequência dessa desobediência foi o vazio e a sede desesperada de satisfazer o ego, esse grande vazio.
Nós, humanos, procuramos nos preencher  nas amizades, nos relacionamentos amorosos, no sexo, nos estudos, nos trabalhos, nas músicas, na comida, nas festas, nas baladas, nas bebidas, nas drogas, no dinheiro e nas religiões exatamente por causa desse vazio.

Embora essa sede e esse vazio seja uma consequência para todos, a grande diferença esta em acreditar ou não no significado da morte de Cristo. Aceitar isso ou não.
O vazio e os sofrimentos dessa vida serão passageiros para os que aceitarem essa verdade, foi o que Cristo disse em vida: "Quêm crê em mim,ainda que morra viverá".

Para quem não crer, o que restará é pagar por aquilo que fez, pois o salário do pecado é a morte, ou seja, o salário dos nossos erros, nossa desobediência.
Que morte?

Morte eterna, morte espiritual, o eterno vazio que a imagem acima ilustra. A ausência de Deus, do seu amor.

O vazio foi o sentimento sentido para quem naquele sábado não tinha esperanças. Mas Cristo havia deixado uma promessa: "Depois de três dias ressuscitarei"

Continuarei a falar sobre isso amanhã.


Leia as referências:
A Promessa de vida: João 11:25
A consequência de nossos erros: Romanos 6:23
A promessa de ressurreição: Mateus 27:63

God Bless

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Páscoa: A Verdade Que Não Se Fala. Pt I



Foram três horas de escuridão, contam os relatos. Três horas que iriam fazer uma verdadeira revolução na história da humanidade.
Estamos em período de comemoração da páscoa e hoje é a sexta feira da paixão.

Para muitos um feriado cheio de tradições, para outros apenas um feriado para descansar e viajar e pra outros um evento religioso cheio de rituais.
Mas qual foi a real daquela sexta feira?

Certamente não foi marcada por ovos de páscoa, muito menos por eventos religiosos. Não foi um ritual, não foi uma encenação teatral nem uma produção de Hollywood. Foi o marco para a vida de muitas pessoas até hoje.

Não importa se você é uma pessoa religiosa ou não, não da para desconsiderar que Cristo foi a pessoa mais marcante da história da humanidade. Ele dividiu até o nosso calendário em antes e depois (A.C e D.C).

O que foi a hora nona? E a hora sexta?

A hora sexta marca o que é exatamente o meio dia, quando iniciou-se um período de três horas de trevas, o dia se tornou noite e por volta da hora nona, que corresponde às três horas da tarde, ele bradou: "Eloí, Eloí, lama Sabactâni" que significa "Meu Deus! Meu Deus! Por que me abandonaste?"
Naquele momento a minha culpa, os meus erros, meus crimes, meus pecados e a minha morte junto com a sua e de toda humanidade que foi e que virá estava sobre ele.

Não sei no que você, leitor desse blog, acredita. Se por acaso esse assunto não seja importante pra você pare de ler aqui. Leia algo que te traga maior interesse.


Pra quem tiver o mínimo de curiosidade e interesse para o assunto, eu prossigo...

"Certamente ele tomou sobre si as nossas enfermidades e sobre si levou as nossas doenças...ele foi transpassado por causa das nossas transgressões, foi esmagado por causa de nossas iniquidades, o castigo que nos trouxe a paz estava sobre ele, e pelas suas feridas fomos curados"
Isaías 53:4 e 5.

Quando Deus criou o ser humano, nos fez livres e a desobediência, que é o pecado, nos afastou da presença de Deus, e passamos a sofrer consequências por isso.

"Nos tornamos hedonistas, materialistas, cínicos, geradores de morte, fome, atraso e injustiça, progenitores de fanatismos doentes e letais. Essa é nossa humanidade, essa é a nossa civilização.
Parece não haver limites para a irracionalidade humana e com certeza não há limites para a justiça de Deus"
Fruto Sagrado

Essas são algumas das consequências de nossa desobediência. Não da pra negar que esse mal é real, mas não era pra ser assim.

Eramos pra ser livres de tudo isso. Essas foram nossas doenças. E esse é o significado da hora nona. Deus se fez carne através de Cristo e pode nos compreender. Ele se colocou no nosso lugar e  compreendeu nossas dores, nossas tristezas, nossas provações, nossas fraquezas, nossa humanidade. Ele se sentiu só, ele chorou, mas não tinha culpa. Ele não merecia ser crucificado.

Os judeus preferiram soltar um criminoso chamado Barrabás ao invés de Jesus. Para você entender um pouco mais sobre isso, imagina um criminoso como o Fernandinho Beira-Mar ou o Maníaco do Parque ou o Osama Bin Laden ou qualquer outro ser solto e uma pessoa inocente ser crucificada em seu lugar. Seria justo?

Não, não foi justo, mas foi necessário e esse é o significado de sua morte.

Cristo morreu para que os nossos crimes, nossas doenças, nossos pecados fossem arrancados de nós. E o que nos restou foi a escolha, a escolha de acreditar nisso ou não. De seguir isso ou não.

Continuarei falando disso nos próximos dias. Continue lendo o nosso blog.

Leia as referências:
A criação e a desobediência: Gênesis 1 e Genêsis 3
A Morte de Cristo: Marcos 15

God Bless


quarta-feira, 4 de abril de 2012

Povos e Nações: Hebreus




Hoje é quarta feira, mais um dia para a série "Povos e Nações", onde você pode aumentar seu conhecimento histórico sem sair do blog:
Mais uma reprodução do site Brasil Escola:


A cultura hebraica tem uma forte relação com o mundo contemporâneo. Levantando apenas um dos mais básicos argumentos que justificam essa afirmação, podemos atribuir a esse povo a criação de uma das maiores religiões do mundo atual: o cristianismo. Tendo essa posição de destaque na compreensão dos valores da cultura ocidental contemporânea, o estudo da civilização hebraica pode nos conceder intrigantes instrumentos de reflexão sobre os nossos valores e nossa cultura.


A história dos hebreus se confunde com a trajetória de diversos outros povos do mundo antigo. Entre outros episódios podemos destacar o exílio no Egito, a dominação pelos babilônios e a conflituosa relação com as autoridades do Império Romano. Uma das maiores fontes de estudo da trajetória do povo hebreu se encontra na Bíblia, principalmente na parte do conhecido Velho Testamento. Nesse livro, hoje de valor sagrado para o Cristianismo, podemos ver alguns traços da história e da cultura desse povo.

Em geral, costumamos dividir a história dos hebreus de acordo com as diferentes formas de organização política desse povo. A primeira fase dessa divisão faz referência ao chamado Período dos Patriarcas, onde um líder maior tinha atribuições de caráter religioso, jurídico e militar. Ao longo desse período temos uma fase de transição marcada pelo Êxodo para o Egito onde, fugindo de uma grande seca, essa civilização esteve sobre o domínio do Estado faraônico.

Depois de conseguirem se livrar da dominação egípcia, os hebreus se organizaram em diferentes tribos sendo cada uma delas comandadas por um juiz. As situações de conflito estabelecidas com os outros povos da região palestina acabaram por viabilizar a formação de uma monarquia centralizada. A fragmentação dos hebreus em dois novos reinos (Judá e Israel) enfraqueceu militarmente os hebreus, que acabaram subordinados aos babilônicos e romanos.

Após a Diáspora ocorrida no ano 70, os hebreus acabaram se espalhando ao redor do mundo. Suas tradições religiosas acabaram sendo o grande traço cultural capaz de manter os valores desse povo arraigados. Somente na segunda metade do século XX, o movimento sionista judaico foi capaz de estabelecer um novo Estado judeu na região da Palestina. A volta dos judeus ao seu local de origem, ainda hoje, sustenta uma interminável guerra com os árabes que dominaram a região durante todo esse tempo.

Por Rainer Souza

God Bless

terça-feira, 3 de abril de 2012

Decyfer Down


Pois é, galerinha do bem! Estou de volta com mais uma banda que vai aguçar seus ouvidos!

A banda Decyfer Down. Formada em 1999 na cidade de Morehead City, Carolina do Norte, até o ano de 2002 era chamada de Allysonhymn (Lê-se All-Eyes-On-Him), mas com a entrada do guitarrista Chris Clonts, mudaram seu nome para o atual.

Todos os integrantes da banda são cristãos, mas o Decyfer Down é muito conhecido no cenário secular, principalmente pelas turnês que fez com Puddle of Mudd, Breaking Benjamin e Theory of a Deadman. No cenário cristão, também participaram de turnês com bandas como Skillet e Red.

A banda tem dois álbuns de estúdio: End of Grey (2006) e Crash (2009). Em 2010, entraram em estúdio para a gravação de um terceiro álbum, o qual tem previsão para lançamento em 2012, mas ainda não tem nome. Na sonoridade da banda, há variações entre metal alternativo e hard rock.

Destaco a música Fight Like This do álbum End of Grey:




E é isso aí, minha gente! Fica o aperitivo e o meu incentivo a procurarem mais material dessa banda!

God Bless!

sábado, 31 de março de 2012

Die Religion Die


"Porque a letra mata, mas o espírito vivifica" II Corintios 3:6

"A verdade não pode mentir, é tempo de ver a religião morrer"

Música: Die Religion Die
(Brian Head)



sexta-feira, 30 de março de 2012

Rebecca St. James: Girls também sabem fazer Rock



Boa, galera! Estou aqui pra lhes apresentar Rebbeca St. James.

Nome artístico de Rebecca Jean Smallbone, ela é uma cantora, pastora, compositora e atriz australiana. Tem uma voz firme e decidida. Rebecca começou sua carreira na música logo cedo em 1990 e já em 1991 ela foi para os Estados Unidos, onde mora até hoje na cidade de Franklin, Tennessee. A cantora ganhou o prêmio Grammy de melhor álbum de Rock Gospel no ano de 2000. (Fonte: Wikipédia)

Na sonoridade de suas canções temos um bom pop rock, tendo algumas músicas mais pesadas também.

A seguir o videoclipe do DVD "Alive in Florida" da música "God Help Me:




É isso aí, galera! espero que curtam e que procurem mais sobre Rebecca St. James!

Abraços!

quinta-feira, 29 de março de 2012

Brian Head no Brasil


Boa Tarde Outsiders.
Essa é mais uma postagem do Antenado.

O vocalista da banda "Love and Death" e ex-guitarrista da banda Korn estará se apresentando em quatro cidades brasileiros no mês de Abril: Curitiba, João Pessoa, São Paulo e Vitória.

Confiram os detalhes:

Curitiba - Music Hall
Data: 12 de abril, às 19h
Endereço: rua Engenheiro Rebouças, 1645 - Rebouças
Ingressos:
1° lote R$ 50 inteira
2° lote R$ 80
Camarote R$ 150

João Pessoa - Centro de Convenções Cidade Viva
Data: 13 de abril, às 19h
Endereço: rua Luzia Simões Bartolini, 100 - Aeroclube
Ingressos:
1° lote R$ 50,00 inteira
2° lote R$ 70,00

São Paulo - Upper Music
Data: 14 de abril, às 18h
Endereço: rua Carmo do Rio Verde, 83 - Chácara Sto. Antônio
Ingressos:
1° lote 80,00 inteira
2° lote 100,00 meia

(Atualização 30/03): Em São Paulo também terá a apresentação de Rodolfo Abrantes(Ex-Raimundos e Rodox)

Vitória - Barra Acústico
Data: 15 de abril, às 16h
Endereço: av. Beira Mar, 264 - Barra do Jucu
Ingressos:
1° lote R$ 30,00 inteira
2° lote R$ 50,00


Aproveitem e vejam o "Revolution" dele postado aqui mesmo no blog.

God Bless

quarta-feira, 28 de março de 2012

Povos e Nações: Os Maias


Galera Outside de todo o planeta, hoje vamos mandar mais um da série "Povos e Nações" com mais uma nação que habitou o continente americano antes da "descoberta" dos europeus.

Habitando a região sul da Península do Yucatán, os maias começaram a formar sua civilização por volta de 700 a.C.. Contando com a influência de outros povos meso-americanos, os maias formaram uma das mais ricas civilizações pré-colombianas de que se tem registro. Espalhando-se ao longo das regiões vizinhas, a sociedade maia iniciou a expansão de seu povo criando uma série de cidades distribuídas pelo fértil Vale do Yucatán.

No século III, o povo maia já se encontrava distribuído entre as regiões de floresta onde hoje se encontra a Guatemala e Honduras. Desprovidos de instituições políticas centralizadas, os maias organizavam governos autônomos em cada uma das cidades-Estado fixadas no território. Esse período de expansão territorial e urbano, conhecido como período Clássico, encerrou-se no século X, quando uma inexplicável diáspora esvaziou os centros urbanos da cultura maia.

Nesse período, os toltecas subjugaram o povo maia através do controle de parte de suas cidades. Somente no final do século X, a união de algumas cidades maias empreendeu o renascimento da civilização. Através da Liga de Mayapán, formada pelas cidades de Chiclen Itzá e Uxmal, a civilização maia voltou a controlar os territórios da Península do Yucatán.
Durante o século XV, uma série de guerras entre as cidades-Estado foram responsáveis pelo enfraquecimento da civilização maia. Mesmo não sabendo precisamente os motivos para tal enfraquecimento, alguns estudiosos ainda apontam que uma sucessão de secas e grandes desastres naturais decretou o esgotamento da civilização maia. Em 1511, quando os espanhóis chegaram à região, encontraram um povo em total desolação. A partir do contato com os europeus, uma série de epidemias foi responsável pela extinção dos maias.

Texto de Rainer Souza em Brasil Escola.

Não se contentem apenas nisso. Pesquisem, comentem, saibam mais e adquiram conhecimento.

God Bless

segunda-feira, 26 de março de 2012

Autenticidade



Dizem que "o que os olhos não veem o coração não sente". Quantas vezes essa frase foi dita para servir de desculpa para os erros ou para a conformação com eles?
Essa frase é mais usada no contexto de relacionamentos amorosos, quando uma das partes ama cegamente a outra a ponto de não enxergar os defeitos de outra pessoa. Ou pior, essa frase também é utilizada por pessoas traídas que se conformam com o engano do marido ou da mulher e usam disso um amuleto, alegando que não ligam para aquilo que pode ser verdade, mas não se vê.

Pura hipocrisia.

É um absurdo tomarmos essa frase como uma verdade em nossas vidas. No caso da pessoa traída, ela sente sim, sente dor, sente desprezo, se sente incapaz e incompleta, mas aceita a situação por medo, por conformismo e por não se ver longe daquela pessoa mesmo nessa situação.
E como levar essa frase para a realidade de um casal de cegos que podem sentir amor um pelo outro mesmo sem verem a face um do outro?

Outra frase comumente dita é "quem vê cara não vê coração". Tudo bem que muitas vezes nos enganamos com aparências e não devemos julgar as pessoas por pré-conceitos que temos ao ver um rosto, mas absorvemos tantas frases, tantos conceitos, tantos ditos populares que as vezes perdemos a verdadeira essência das palavras. Se essa frase for totalmente verdadeira o que dizer do provérbio que diz:
"O coração alegre aformoseia o rosto, mas pela dor do coração o espírito se abate." Provérbios 15:13.Bíblia Sagrada


Se atentássemos à essência original das coisas certamente olharíamos as pessoas e muitas vezes enxergaríamos o coração das pessoas pela sua face, porém temos perdido nossa autenticidade, o nosso estado original. Temos sofrido mutações desde que nascemos e nos desviando do que realmente somos. A hipocrisia e o engano nos fazem aparentar o que não somos e tornar essa frase verdadeira.

O mundo que vivemos dita as regras e temos apenas aceitado sem questionar o por que. Temos absorvido princípios sem perguntar sua origem, sua essência, e levamos todos esses conceitos para nossas casas, nossas famílias, nossos relacionamentos. Vivendo conforme aprendemos neste mundo e correndo um sério risco de estarmos presos a uma grande mentira.
Uma mentira exposta na mídia, nas músicas, nos filmes, nas novelas, na política, nos outdoors, no rádio, nas amizades, nas universidades e em um falso amor.

Até onde você é verdadeiramente autêntico? Até onde você realmente é você mesmo?

Pense e procure respostas vivas!

Caso queira falar sobre o assunto nos procure pelo nosso email: outside.jovem@gmail.com

Por: Sérgio Cirqueira e Jéssica Tardelli

God Bless

sábado, 24 de março de 2012

Teoria da Evolucão!


"Diante de mim todo joelho se dobrará, toda lingua confessará"
 Isaías 45:23


Por Myllena Gomes

sexta-feira, 23 de março de 2012

Crise Existencial Interna.


Tem momentos que você se sente assim? Em crise com você mesmo?

As vezes parece que o norte da bussola está desajustado. Tudo ocorria bem e de repente um pequeno questionamento, uma pequena dúvida gerou uma cadeia de desordem. É assim que acontece certo?
Então você se encontra preso dentro de um monte de pensamentos e sentimentos que parece que só você entende e ao mesmo tempo parece não ter soluções e então percebe que aquela pequena dúvida já não é mais o foco desse grande "problemão" que criou na sua mente.

Isso que é chamado aqui de crise existencial interna, pois talvez o seu questionamento não é acerca do sol, das estrelas ou sobre o sentido da vida como um todo, e sim o seu sentido específico de viver e de fazer as coisas.

Primeiramente, ter esses momentos é normal e comum, todos passam, uns de forma mais profunda do que outros. De certa forma esse sofrimento nos grita dizendo que algo não está correto, algo precisa ser verificado, corrigido e realinhado. Então não se sinta um lixo por achar que sua vida está sem propósitos, esse momento de crise faz parte de seu amadurecimento, então vamos falar dos processos que isso irá conduzir.

Assumir as fraquezas não é idiotice e compartilhar as dúvidas com pessoas leais pode ser válido, mas o mais importante é entender que esse momento é passageiro e que não deverá resultar em perdas e sim em aprendizado. No final da crise sempre ficamos mais maduros e passamos a enxergar as coisas de uma forma mais ampla e nos sentimos até libertos de uma cadeia de pensamentos destrutivos.

Desanimar e enfraquecer faz parte da humanidade, pois não existe nenhum Superman, nenhum herói invencível, mas se levante, uma criança não se contenta com a queda.

Pra fechar, ouçam uma música que fala muito sobre crises, Superman do Fruto Sagrado.


God Bless!

quarta-feira, 21 de março de 2012

Povos e Nações: Os Incas



Galera Outside de todo planeta, hora de mais um texto da série: "Povos e Nações", nada de preguiça, vamos ler e aumentar nosso conhecimento:


Fortalezas Incas:

Os edifícios incas se caracterizam pela monumentalidade e sobriedade. Suas cidades eram verdadeiras fortalezas, construídas com grandes muralhas de pedra. Os incas eram mestres em cortar e unir grandes blocos de pedra; a cidade-fortaleza de Machu Picchu é o exemplo mais espetacular dessa arte. Machu- Picchu foi descoberta em 1911, no topo de uma montanha de 2.400 m de altura, numa região inacessível da cordilheira dos Andes. Outras construções incas importantes ficam em Cuzco e Pisac. Cuzco, a capital do Império, tem uma rígida planificação urbana em forma quadriculada.

Formas de vida:

A organização social inca era muito hierarquizada. No topo estava o Inca (filho do Sol), que era o imperador; depois a alta aristocracia, à qual pertenciam os sacerdotes, burocratas e os curacas (cobradores de impostos, chefes locais, juízes e comandantes militares); camadas médias, artesãos e demais militares; e finalmente camponeses e escravos. Os camponeses eram recrutados para lutar no exército, realizar as tarefas da colheita ou trabalhar na construção das cidades, segundo a vontade do Inca. A família patriarcal era a base da sociedade, mas até os casamentos dependiam da autoridade máxima. O sistema penal era rígido e o sistema político extremamente despótico.

O trabalho agrícola:

A terra era propriedade do Inca (imperador) e repartida entre seus súditos. As terras reservadas ao Inca e aos sacerdotes eram cultivadas pelos camponeses, que recebiam também terras suficientes para subsistir. A agricultura era à base da economia inca; a ela se dedicavam os habitantes plebeus das aldeias. Baseava-se no cultivo de um cereal, o milho, e um tubérculo, a batata. As técnicas agrícolas eram rudimentares, já que desconheciam o arado. Para semear utilizava um bastão pontiagudo. Os campos eram irrigados por meio de um sistema formado por diques, canais e aquedutos. Utilizava-se como adubo o guano, esterco produzido pelas aves marinhas. Possuíam rebanhos imensos de lhamas e vicunhas, que lhes forneciam lã.

Cultura e religião:

O idioma quéchua serviu de instrumento unificador do império inca. Como não tinha escrita, a cultura era transmitida oralmente. Com um conjunto de nós e barbantes coloridos, chamados quipos, os incas desenvolveram um engenhoso sistema de contabilidade. Na matemática, utilizavam o sistema numérico decimal. Os artesãos eram peritos no trabalho com o ouro. Mesmo sem conhecer o torno, alcançaram um bom domínio da cerâmica. Seus vasos tinham complicadas formas geométricas e de animais, ou uma combinação de ambas. A religião inca era uma mistura de culto à natureza (sol, terra, lua, mar e montanhas) e crenças mágicas. Os maiores templos eram dedicados ao Sol (Inti). Realizavam sacrifícios tanto de animais como de humanos.

Texto de Brasil Escola.

God Bless

terça-feira, 20 de março de 2012

Esperança



"Amigo, eu não sei aonde você está
E não sei como tem estado
Talvez esteja lutando por sua vida
ou prestes a jogar a toalha
Mas se você está clamando por misericórdia
Se não há mais esperança restando
Se tiver dado tudo o que tinha
e ainda está prestes a cair
Bem, aguente firme, aguente firme, aguente firme...

Pois eu acredito sempre, sempre
Nosso Salvador nunca falha
Mesmo quando toda esperança se foi
Deus conhece nossa dor e Sua promessa permanece
Sempre, Sempre
Ele estará contigo sempre..."

Ouçam....


Por: Leandro Cirqueira

God Bless

segunda-feira, 19 de março de 2012

A Mordaça Democrática




Pois é, galera. 2012 é ano de eleições.

Nos dias 7 e 28 de outubro desse ano, os quase 200 milhões de brasileiros, espalhados por mais de 5.500 municípios, estarão votando em seus candidatos para prefeito, vice-prefeito e vereador. Como sempre, alguns estarão tentando a reeleição, outros a eleição inédita e tudo o mais.

Mas hoje estou aqui pra fazer a seguinte pergunta pra vocês: Você considera o Brasil um país democrático?

Remontando a história eleitoral do nosso país me lembrei de uma expressão que surgiu lá no início: Voto de cabresto.

O voto de cabresto era muito usado nos anos iniciais da República no Brasil. Era muito comum em cidades do interior, e muito utilizado para manobras políticas, onde certos homens de poder obtinham através da manipulação de pessoas e recursos, resultados que os favoreceriam.
O sistema funcionava do seguinte modo: Um fazendeiro de muitas posses, normalmente entitulado coronel forçava (através de violência, de suborno ou outros métodos) que um eleitor votasse no candidato de sua "indicação", para assim se beneficiar com os resultados obtidos por esses meios. Parece com um certo sistema eleitoral do conhecimento de vocês?

Então volto a pergunta inicial: Você considera o Brasil um país democrático?
Quando vocês vão às urnas acham que estão exercendo um ato democrático, de livre e espontânea vontade? Acham que estão, com esse voto manifestando a livre opinião de vocês, ou estão votando no cara que é menos desagradável?

Eu andei estudando um pouco sobre democracia, e digo, pelas conclusões que tirei com isso, o seguinte: O Brasil é um país democrático? Mentira!
Num país democrático, a vontade da maioria vira Lei. Sim, eles são administrados por algum tipo de governo, mas a livre opinião da maioria do povo é o que prevalece em um país democrático.

É claro que todos devem respeito às autoridades. Entendam isso. Num regime democrático você pode expressar o que pensa livremente, mas isso não te dá liberdade pra fazer o que quiser. Pois num país onde todos têm direitos, mas não obrigações, não é uma democracia, e sim uma anarquia.
Agora, obedecer às leis não quer dizer sucumbir à elas e aceitá-las bovinamente. Sim, quem aceita as coisas sem questionar, só baixando a cabeça e obedecendo ao que mandarem e desmandarem pode ser comparado ao gado que trabalha, come e dorme, mas não pensa por si mesmo, não se expressa, não questiona. Quem diz que vive numa democracia, sabendo que vive nessas condições é muito hipócrita.

O que estou mostrando aqui é que o Brasil é exatamente assim.
Se nós tirarmos esse pano do politicamente correto, veremos que vivemos numa sociedade feudal: Um rei que detém o poder central (presidente e suas MPs), seguindo de duques, condes, arquiduques e senhores feudais (ministros, senadores, deputados, prefeitos e vereadores). Todos eles são sustentados pelo povo que paga tributos, que têm como único fim o pagamento dos privilégios do poder.

E aí, pra não deixar tanto na cara esse sistema feudal no qual vivemos, eles inventaram as eleições. Te dão a a falsa sensação de estar escolhendo em quem votar, mas são todos iguais. Dizem que você tem liberdade pra expressar sua opinião publicamente, mas se você se manifestar, mandam os vassalos (que hoje chamamos de policiais) pra parar com a baderna.

Funciona mais ou menos como uma mordaça. Você pode votar em quem quiser, mas não pode ser contra quem for eleito, não pode questionar o modo como ele governa, tem que pagar os impostos pra sustentar os luxos dele e viver em condições bem inferiores às dele. Mas é claro, você tem total liberdade pra votar em quem quiser. E ainda somos obrigados a votar, mesmo com tanta liberdade de opinião.

Democracia isso? Pense!

Abraço!

sábado, 17 de março de 2012

En las manos de Dios


"Aquele que nem seu próprio filho poupou...." Rom 8-32


"Quem será contra nós?"
Bíblia Sagrada


sexta-feira, 16 de março de 2012

Bíblia Em Ação

E aqui vai mais uma para quem curte HQ!

A Bíblia em Ação traz mais de 200 histórias bíblicas, ilustradas no Estilo HQ! Ela Reúne de forma cronológica o velho e Novo Testamento. Apesar de ter ilustrações bem contemporâneas, com traços e cores fortes, as narrativas seguem a risca os textos originais da bíblia.



A bíblia foi elaborada por Sérgio Cariello, ilustrador brasileiro, que já trabalhou com a Marvel e DC Comics (Homem- Aranha, X-Men, Batman, Super - Homem e outros), e o legal é ele trouxe a verdade bíblica de uma forma mais clara e realista, e a nível de super heróis, que é isso que os personagens bíblicos são só que verdadeiros.




Confiras as primeiras páginas : Bíblia em ação

Preço - Bíblia em Ação



God Bless  ^.^

quinta-feira, 15 de março de 2012

Não Foi Acidente!


Possivelmente você já ouviu falar nessa campanha em algum lugar. Está sendo vinculado pelas redes sociais como Twitter e Facebook.

Trata-se de um projeto de lei de iniciativa popular, uma petição pública para alteração no Código Brasileiro de Trânsito(CTB), visando punir com rigor os motoristas que matam e causam acidentes no trânsito por embriaguez ao volante.

O que antes era somente ilícito administrativo, se torna ilícito penal. Ou seja o que antes gerava uma punição administrativa(multa), com o projeto passaria a ser tratado como crime tendo por objetivo a tolerância ZERO para direção e embriguez.

É possível participar imprimindo a petição aqui ou pelo site: Não Foi Acidente.
Para assinar é necessário possuir título de eleitor para votar.

Para mais informações: Dúvidas frequentes

Mantenham-se antenados!

God Bless


quarta-feira, 14 de março de 2012

Povos e Nações: Os Astecas


Galera Outside, hora de um pouco de cultura e conhecimento aqui no blog, assim você não precisa mudar de blog para ter entretenimento e conhecimento num lugar só. Com isso hoje se inicia a série "Povos e Nações" com os Astecas:

A civilização asteca ou mexica foi um dos mais notórios povos a ocuparem a região da Meso-América. De acordo com um relato mítico, a tradição religiosa asteca relata que seu povo saiu à procura de um território sagrado. Tal região estaria marcada pela existência de uma águia repousada sobre um cacto, que carregava em seu bico uma serpente. Depois de passarem anos vagueando pelas regiões da América Central, o povo asteca fixou-se na região do Lago Texcoco. Ali desenvolveram intensa atividade agrícola e fundaram a cidade de Tenochtitlán.


Explicações de cunho histórico dão conta que os astecas, por volta do século XIV, invadiram a região meso-americana valendo-se da frágil civilização tolteca que dominava aquela região. Em curto espaço de tempo, conseguiram formar um amplo império formado por centenas de centros urbanos e que contava com uma população de quase 15 milhões de habitantes. Durante sua história o império asteca dominou outros povos da região, dos quais cobravam tributos que abasteciam as principais cidades do império asteca.

No final do século XV, com a chegada dos espanhóis à região, os astecas sofreram a crise e o declínio de seu império. As pretensões colonialistas e a cobiça pelos metais preciosos incitaram os espanhóis a promoverem a destruição desta antiga civilização. Por meio das guerras, pilhagens e o apoio de povos inimigos os espanhóis conquistaram toda a região. Com isso, foram perdidas valiosas fontes de conhecimento da cultura desse povo que dominou o Vale do México por mais de duzentos anos.

Texto de Rainer Souza em Brasil Escola.

God Bless

terça-feira, 13 de março de 2012

Skillet: Conceito de Rock Moderno


Galera do bem, hoje estou aqui pra mostrar uma banda fera pra vocês.

Vou falar um pouco da banda Skillet. A banda se formou em 1996, em Memphis, Tennessee. é formada por John Cooper (vocais e baixo), Korey Cooper (vocais de apoio, teclado e guitarra), Jen Ledger (bateria e vocais de apoio) e Seth Morrison (guitarras).

A banda passeia por alguns gêneros do rock, entre eles o industrial, alternativo e o hard rock. Entre suas letras, a banda fala sobre os dilemas da vida, aspectos sociais, como violência doméstica e afins, e aborda muito um relacionamento com Deus.

A discografia da banda já é bastante extensa, e faço destaque para os três últimos álbuns: Collide (2003), Comatose (2006) e Awake (2009).

Ouçam "Hero" do último álbum "Awake".



E do álbum anterior "Rebirthing" com legenda:



E aí, galera! Querem conhecer mais sobre eles? Acessem o site: http://www.skillet.com

Forte abraço!


segunda-feira, 12 de março de 2012

O fim do mundo?


O mundo acabou no ano 2000?


Muito se falava sobre o fim do mundo no ano 2000, muitas especulações, filmes, Nostradamus, mas aqui estamos nós 12 anos depois, mas a pergunta que não quer calar é se realmente o mundo não acabou ? Estamos vivendo em um tempo muito diferente, um tempo onde não temos tempo, mas o dia não mudou, ainda temos as mesmas 24 horas que sempre tivemos nos anos anteriores, então o que está acontecendo?

Quando a filosofia de vida das pessoas muda, a sua visão de mundo também muda, hoje o que impera neste século é a globalização, mas esta mesma globalização que une, também separa, pois ela une interesses e não sentimentos, une empresas e separa as pessoas, está é a chamada era do capitalismo.



Assisti estes dias um filme que marcou minha infância chamado "Os deuses devem estar loucos", naquela época não podia distinguir o que os produtores queriam dizer com o filme, eu simplesmente achava engraçado as cenas cômicas do filme, hoje já com mais maturidade vejo de outra maneira o fato dos nativos na África viverem em plena harmonia com seu meio, excluindo todo o chamado "progresso" e me coloco a pensar o que realmente é o progresso,de criarmos um mundo onde não temos tempo para analisar as coisas e simplesmente deixamos passar, e seguimos nosso caminho, o fim do mundo é um fato catastrófico, apocalíptico ou é um fato onde estamos destruindo a cada dia, um mundo onde alguns ditam as regras e não segui-las é algo absurdo, o não estar na moda, o não fazer o errado, chegamos ao cúmulo de confundir o certo com o errado, a promiscuidade sexual chegou ao absurdo, não temos tolerância quanto às pessoas que divergem de nosso estilo de vida.

O que falta às pessoas é algo chamado ideologia, uma ideologia baseada em algo que não erra, que não decepcione, algo que não seja moldado em formas humanas e capitalistas, algo que não pode ser comprado ou corrompido. O mundo precisa de Deus, mas não o deus deste Mundo e sim o verdadeiro Deus, que não liga pra dinheiro, carro do ano ou roupas de marca, um Deus que preza pela essência.
Abrace esta causa não seja comprado pelo mundo onde os piores cegos são aqueles que não querem ver.

Por: Daniel Ferreira(Yellow)

God Bless

sábado, 10 de março de 2012

O que é GOSPEL?




Qual o sentido autêntico da palavra "Gospel"?



"E tem gente que usa a palavra gospel para vender cds."

Outsider - Sérgio Cirqueira



quinta-feira, 8 de março de 2012

Mulher



'' Não é bom que o homem esteja só; farei para ele alguém que auxilie e lhe corresponda."

(Gênesis 2:18)

quarta-feira, 7 de março de 2012

Mangá Messias


Você curte gibi, comix, mangá ou simplesmente HQ?
Se sim, certamente vai ficar curioso para conhecer esse mangá.

O Mangá Messias conta a história do Cristo baseada nos evangelhos da Bíblia através de desenhos com traços japoneses, no estilo de mangá mesmo.
No Brasil é adaptado para nossa cultura e as páginas não são lidas de trás pra frente como nos mangás tradicionais, mas são muito interessantes os traços japoneses e a criatividade de se criar mangás sobre as histórias bíblicas.

No mangá existem as referências bíblicas e ao comparar a história original na Bíblia com o mangá, nota-se que seguiram a linha, não se desviando das escrituras originais.
Este que vos escreve tem o privilégio de ter dois mangás baseados na bíblia, o outro é o Metamorfose que conta a história dos Atos dos Apóstolos e pelo que sei também existe pelo menos mais um mangá em português: Mangá Motim.

Caso você tenha mais interesse sobre o assunto, segue em baixo alguns links onde você pode fazer compra online de um ou mais mangás:

Mangá Messias

Mangá Metamorfose

Mangá Motím

God Bless

segunda-feira, 5 de março de 2012

Realidade Virtual



Galera Outside, hoje vou falar sobre "Realidade Virtual", ou seria fantasia?

Não há como ignorar o fato de que cada vez mais estamos nos tornando seres virtuais.
O grande crescimento das redes sociais que aflorou na última década é o maior exemplo disso. Quem não possui uma conta no messenger ou no facebook? Nos rendemos de tal forma que até o nosso projeto Outside possui conta no face.
Antes de prosseguir com o assunto reflita você mesmo, até onde isso é bom ou ruim?

Não quero falar só das redes sociais e sim do virtualismo num todo, seja o uso das redes sociais, seja as outras utilidades da internet como emails, pesquisas, compras e pagamentos, seja o virtualismo bancário, os SMS, os cartões de ponto, a biometria, enfim, tudo que se possa considerar virtual.
Se perguntarmos aos nossos pais e avós como era a juventude deles veremos que muito do que existe hoje não fez parte de suas gerações, o virtualismo é algo nosso, dos jovens, do futuro, é algo que cresceu muito nas últimas gerações e de certa forma nos faz reféns desse sistema.

Por um lado isso é bom, a modernidade nos traz facilidades como o conforto, a agilidade, o acesso às informações e economia de tempo e dinheiro. Quanto tempo economizamos com emails ao invés de cartas? O quanto nos desgastamos ao ir em um banco quando podemos cumprir nossos compromissos através da internet? Sim, podemos ir muito mais longe em menos tempo com os modernos meios de comunicação.

Porém vemos de outro lado a insegurança. Nossos dados estão cada vez mais expostos em um gigante sistema de informação, nossa vida é cada vez mais aberta e mais popular. Enquanto temos medo de ser assaltados nas ruas, somos golpeados por estelionatários na internet.

Nas redes sociais pessoas se isolam e se tornam egoístas e solitárias. Vivem presos a um mundo de fantasias, relacionamentos virtuais que escondem a realidade atrás de frases, imagens e comportamentos que podem não ser verdadeiros.
Na hora de digitar o login e senha podemos escolher qual máscara usarmos, qual imagem vendermos e isso não precisa ser uma realidade, aliás o virtual é uma realidade em si, uma realidade paralela.


Estamos vivendo numa verdadeira Matrix, cada vez mais condicionados a esse sistema que nos diz o que devemos ser, como devemos nos comportar e o sentido disso tudo tem se perdido, cada geração é pior que a outra, até o senso político esta morrendo. Enquanto grandes ditadores e líderes humanos caíram ao longo da história como Ritler, Sadan Russen, Osama Bin Laden, Muammar al-Gaddafi entre outros, um ditador virtual que não conhecemos o nome nos domina a cada dia.

É claro que o avanço da tecnologia nos traz benefícios, se eu não acreditasse nisso não estaria escrevendo em um blog, mas o questionamento que eu faço com tudo isso é: Para onde vai nossa identidade?
Espero que esse texto faça você refletir mais uma vez sobre seus valores, sobre o quanto você realmente é livre ou o quanto você é manipulado. Tenho muito mais coisas pra falar, mas vou deixar para outra postagem.

God Bless

sábado, 3 de março de 2012

Por Toda Parte


"Onde Deus me mandar eu vou
Cristo me fez voltar ao grande Eu Sou."

Rodolfo Abrantes - Minha Prioridade

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

The Letter Black: Um novo som Alternativo para os seus ouvidos!


Iai galeraaa, tai uma banda que estou escutando muito ultimamente eles são novos na cena do Rock Alternativo e estão conseguindo um grande espaço na música Cristã.

Eu sou suspeito para falar muito sobre o contexto de som pesado, mas posso afirmar que o The Letter Black conseguiu atingir um publico mais pop por conta de algumas coisas, exemplo: o vocal lembra algumas vocalistas como Amy Lee (Evanescence) e Avril Lavigne e também o próprio estilo de música que hoje em dia é mais aceito por muitos. Espero que vocês gostem, peguei algumas informações para vocês conhecerem um pouco dessa banda que faz um som de qualidade.


The Letter Black, anteriormente conhecido como Breaking the Silence, é uma banda estadunidense de rock cristão formada em 2006 em Uniontown, Pensilvânia. A banda é composta por Sarah Anthony (vocal), seu marido, Mark Anthony (vocal e guitarra), Matt Beal (baixo) e Taylor Carroll (bateria). A banda é fortemente influenciada por Sevendust, Metallica, Pantera, Megadeth e Alanis Morissette.

The Letter Black começou como uma equipe de louvor em sua igreja local com Sarah e seu marido Mark como um dupla de voz sob o nome "Breaking the Silence". Mais tarde, quando eles assinaram com a Tooth & Nail Records, eles mudaram o nome da banda para "The Letter Black".

A banda faz cerca de 150 shows por ano e já dividiu o palco com bandas como Skillet, Decyfer Down, Red, e Hawk Nelson. Eles fizeram a abertura dos shows em 2010 na Awake and Alive Tour. Eles também abriram o show para a banda Thousand Foot Krutch na Welcome to the Masquerade Tour.

O álbum Hanging On by a Thread foi lançado no dia 4 de maio de 2010 pela Tooth & Nail Records, colocando a banda na 9ª colocação na seção de rock do iTunes no mesmo dia.

Fonte: Wikipedia

Do álbum "Hanging By A Thread" a música "Hanging By A Thread":



Também do mesmo álbum a música "Believe":


God Bless u! =)




quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Brian Head (Ex-Korn)


Galera Outsider, é hora de mais um Revolution aqui no blog!

Brian Head é natural de Bakersfield, Califórnia,EUA. Foi um dos fundadores da banda Korn, sendo guitarrista e vocal de apoio dela. A banda Korn conseguiu a façanha de vender mais de 30 milhões de discos pelo mundo afora e foi conhecida como uma das maiores influências do movimento Nu Metal. Com o Korn, Head ganhou dois prêmios Grammy e vários MTV Video Music Awards.



Mesmo no auge, com tanto sucesso, Brian Head anunciou a saída da banda em 2005 após 6 álbuns lançados com o Korn. Em 2008 Head lançou seu primeiro álbum solo intitulado "Save Me From Myself" No álbum, o músico aborda questões particulares da sua vida, como a luta para deixar as drogas, os motivos que o levaram a sair da banda e seu encontro com Deus.
Fonte: Moo

Vejam a música "Washed By Blood" do seu primeiro álbum:


Em Outubro de 2011, Brian lançou uma novo Single chamado "Paralyzed":


Em 2012, Brian adotou o nome de "Love and Death" como banda para marcar suas músicas por mais alguns anos. Dia 24/04/2012 é a data prevista para o lançamento do novo álbum: Chemicals.
(Fonte: Terra Notícias)

God Bless!

Por: Sérgio Cirqueira

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Inversão de valores



Galera, estou aqui pra falar dos nossos valores.

Sim os nossos valores como sociedade, como cidadãos e até como seres humanos, valores esses de moral e ética. Mas então, me deparei com a seguinte pergunta: Quais são mesmo os nossos valores morais e éticos?

Eu sou um cara que gosta bastante de dar minhas fuçadas em notícias e informações por aí, pra poder desenvolver certa consciência sobre as coisas que eu vejo e ouço por aí.

E ultimamente ando me deparando com algumas coisas absurdas. É bem comum ouvirmos falar e lermos por aí que pai matou filho, filho matou pai e etc. Mas quando falo de valores de moral e ética quero dizer sobre o que nós, como sociedade e como seres humanos, estamos dando prioridade.

Citando um caso recente, temos a enfermeira goiana que matou o cachorrinho Yorkshire a pancadas. Houve uma mobilização de revolta nas redes sociais em função do acontecido. Todos mostravam sua enorme fúria em relação à essa mulher, por sua "desumanidade" em matar um cachorrinho, um animal irracional e indefeso.

Não estou ironizando porque acho ridículo se compadecer por um cachorro ter sido morto a pancadas. Longe disso. Acho que se não gosta do animal, não fique com ele. É o mais viável e o mais sensato. O que estou ironizando é a falta de senso das pessoas em dar valor a algo assim. Puro moralismo.



Outro caso que me intrigou foi a suposta morte de Osama Bin Laden, líder da Al-Qaeda, o grupo terrorista que ficou conhecido pelos ataques de 11 de setembro de 2001. Era visível (pois há fotos) que o povo norte-americano estava celebrando a morte do terrorista mais procurado do mundo. Mas aí entra minha pergunta: Quem celebraria a morte de outra pessoa?

Pesquisando sobre essa grande "celebração", vi que nem todos veem o ocorrido do mesmo modo. Me refiro ao jogador da NBA, o ala do Milwaukee Bucks, Chris Douglas-Roberts, que atacou com dureza a festa que a população fazia em relação a morte de Bin Laden.

O jogador atacou o povo norte-americano, questionando: "Isto é uma celebração?". Após ser duramente criticado, o jogador questionou se esse seria o início de uma guerra religiosa, se Deus se agradaria de ver as pessoas celebrando a morte de alguém. Chegou até a mostrar dados da guerra contra o terrorismo, onde quase 1 milhão de pessoas morreu em função de duas guerras e muitas operações de invasão do exército dos EUA. Fonte: Terra Notícias (maio/2011).

Não tiro a razão em sentir dor pela perda de parentes das famílias dos atentados de 11 de setembro, mas questiono onde nossos valores morais chegaram, a ponto de celebrarmos a morte de alguém. É disso que estou falando aqui. É mais revoltante você ver um Yorkshire morto a pancadas, ou um morador de rua sendo carbonizado?


Usando esse dois casos, quero que todos parem pra refletir. A que nós temos dado valor? Quais são nossas regras de moral e ética, que nos fazem ter consciência sobre as coisas que acontecem? Quais são os nossos limites de razão e insanidade total?

É óbvio que vivemos uma inversão de valores. A sociedade de hoje banaliza sim muitos conceitos de ordem moral, enquanto torna normal e aceitável ideias completamente absurdas. Mas se pararmos pra analisar bem os fatos, será que não conseguiremos ter o mínimo de consciência e diferenciar o certo do errado?

E você, tem tido essa consciência pra diferenciar as coisas? Reflita nisso.

God Bless.

Por: Thiago Pereira(Nhac)


sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Vaidade e aflição de espírito


"Corri contra o tempo atrás do vento sem saber viver
Sem saber que desse mundo nada, nada vou levar
Me deixei enganar, fui traído por meu coração
Me deixei levar, quase afundei na ilusão
Ainda bem que você me achou
Ainda bem que você me incendiou!
Você me tocou... ressuscitou os meus sonhos
Você me tocou... trouxe vida ao meu deserto!"

Diferentes dos Anjos

(Fruto Sagrado)

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

A evolução da moeda


Nem sempre o dinheiro foi da forma que o conhecemos hoje. 
No começo não existia moeda ou cédula, era praticado o Escambo: troca de mercadoria por mercadoria sem equivalência de valor. Quem tinha peixe em excesso, por exemplo, trocava com quem tinha colhido mais milho.



O Escambo tinha suas dificuldades por não ter um padrão de valor, então foi necessário a criação de um novo modo de troca. Surgiu a Mercadoria-Moeda, as mercadorias mais procuradas por sua utilidade passaram a ter a função de moeda. Gado e sal foram as mais utilizadas.



Com o tempo a Mercadoria-Moeda também passou a ser inconveniente pela oscilação em seu valor, por não serem fracionáveis e por serem perecíveis, o que não permitia o acúmulo de riquezas.
Então o homem passou a utilizar a Moeda-Metal, onde os utensílios de metal passaram a ser muito apreciados. O ouro e a prata passaram a ser os mais utilizados como instrumento monetário.




Os comerciantes começaram a ter dificuldades devido aos assaltos e deslocamentos, então passaram a depositar essas moedas metálicas em Casas de Custódia, recebendo em troca um Certificado de Depósito. Foi ai que surgiu a Moeda-Papel, o comerciante usava esse papel nas transações comerciais como um comprovante do valor depositado.



Gradativamente as Casas de Custódia começaram a emitir certificados sem lastro, ou seja, sem que houvesse efetivamente um depósito de moedas metálicas. Essa era a emissão de Papel-Moeda que era emitida por particulares, sem controle, levando esse sistema à ruína. Então o Estado passou a controlá-lo. Desde então o Papel-Moeda, também conhecido como moeda fiduciária, é utilizado pela maioria dos sistemas monetários.



Com o Papel-Moeda não há existência de lastro metálico, a convertibilidade é absoluta e a emissão é exclusiva do Estado.

Com a evolução do sistema bancário, desenvolveu-se a Moeda Bancária ou Escriturária, representada pelos depósitos à vista e a curto prazo nos bancos, movimentando esses recursos por cheques ou ordem de pagamentos.



De hoje para o futuro: Será cada vez mais comum os meios alternativos para fazer um pagamento e uma compra. Por segurança, é mais fácil utilizar a opção de debitar o dinheiro direto na conta com cartão em lojas, padarias, postos de gasolina e até em salão de cabeleireiro, além da opção de utilizar cartão de crédito. Também há um grande avanço de compras e pagamentos via internet e caixas eletrônicos.

Esses recursos, entre outros, têm diminuído a utilização do Papel-Moeda, e a tendência é diminuir mais ainda. Novas tecnologias como a utilização da biometria (reconhecimento através das veias, dos olhos,impressão digital, entre outros) têm sido utilizadas como forma de substituição às senhas e cartões.
São recursos que trazem mais segurança por diminuir o deslocamento com dinheiro, cartões e senhas, e que por outro lado, aumentam o controle do que cada um compra, do que cada um faz.

Há pessoas que acreditam que no futuro só usaremos dinheiro virtual, não usando mais cartões, papel-moeda. Talvez um chip em algum lugar do corpo, como a mão, seja o meio de transação comercial, que autorizará ou não as compras e pagamentos conforme o crédito que a pessoa ter.

Tendo interesse no assunto, encontrei um artigo sobre implantação de chips em seres humanos aqui, publicado em 2006, o que mostra que não é um assunto tão moderno assim. E esse aqui publicado em 2011 no blog do vereador de Curitiba: Francisco Garcêz.

E sobre o mundo financeiro encontrei um blog interessante com várias explicações sobre economia e sistema monetário: Estabilidade Financeira

O que acham sobre o assunto?

God Bless

Por: Sérgio Cirqueira









terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Final épica no Tênis



Não poderia de registrar esse momento esportivo, estamos falando da final do Austrália Open 2012, primeiro Grand Slam da temporada.

A final aconteceu no ultimo domingo entre o sérvio Novak Djokovic e o espanhol Rafael Nadal e teve a duração de  5h53, sendo o jogo mais longo numa final de Grand Slam em toda a história. Djokovic venceu com parciais de 5-7,6-4,6-2, 6-7(5-7 no tie break) e 7-5. Fonte: Espn.com

Esse que vos escreve teve o prazer de assistir a parte final do jogo. Djokovic estava prestes a fechar o jogo no 4º set, mas Nadal resistiu, conseguindo empatar e vencer no tie break. Cada ponto era comemorado de uma forma vibrante.




Mesmo assim Djokovic manteve a tranquilidade no 5º set. Calma ai, tranquilidade? Eles já estavam com 5 horas de jogo, foi preciso muita resistência física e psicológica.

Andando pelos sites interessante o comentário feito por Alexandre Cossenza no globoesporte.com:

"Duas criaturas que só se deixaram vencer pelo cansaço depois do jogo, antes da premiação. Talvez movidos mais pelo meio, pelo processo. Não pelo fim. Vai entender…"

Já no blog dos Jornaleiros tem uma matéria interessante dizendo "Rafael Nadal, obrigado por não desistir" enfatizando o vice-campeão no lugar do primeiro, pois mesmo quando parecia certa a vitória de Djokovic, Nadal surpreendia e proporcionava mais momentos de disputa, o que tornou esse jogo épico.

(aliás aproveito para mencionar sobre o texto Desistir de Desistir para quem ainda não leu)


Somente na hora da premiação os campeões mostraram cansaço. Digo campeões, pois os dois mereciam o troféu, certamente um jogo pra ficar na história. Privilégio de Marco Antônio Rodrigues(Narrador) e Paulo Cleto(Comentarista) dos canais Espn, únicos a transmitirem essa partida aqui no Brasil, fato que também ficará para a história de suas carreiras.

Não podia ter deixado em branco esse fato memorável do esporte.

Com a colaboração do Kelvin Gonçalves.

God Bless





quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Estou em obras

"Deus preferiu essa carne, não quis os templos que eu possa construir com minhas mãos...
Estou em obras e um dia essa morada será perfeição..."

Música: Casa
(Lucas Souza)


Por: Sérgio Cirqueira e Lucas Albuquerque